Voltemos ao Evangelho

Loading...

terça-feira, 1 de maio de 2012

O VALOR DA PALAVRA PROFÉTICA 2


“Porque os filhos de Israel ficarão por muitos dias sem rei, e sem príncipe, e sem sacrifício, e sem estátua, e sem éfode ou terafim. Depois tornarão os filhos de Israel, e buscarão ao SENHOR seu Deus, e a Davi, seu rei; e temerão ao SENHOR, e à sua bondade, no fim dos dias” (Os 3. 4, 5).
Certamente você já se perguntou por que Israel tem uma história tão conturbada. Pela Palavra, posso lhe afirmar que eles continuarão assim até o “fim dos dias”. Mas também sou convicto de que Deus sempre esteve presente na vida daquele povo, assim como hoje, está presente na vida da Noiva de Cristo e continua governando toda a história, até que chegue Aquele Dia.
Mas vamos buscar um pouco mais de entendimento acerca do porquê Oséias e todos os demais profetas terem sido tão precisos, no que se refere aos fatos históricos que (do nosso ponto de vista) já aconteceram e daqueles que ainda acontecerão.
Vimos, no post anterior, que o povo de Daniel está cego para a Palavra Profética. É certo que há exceções, como Simeão e Ana (Lc 2. 25-38), por exemplo. E esses parcos exemplos servem para nos confirmar a verdade exposta em Dn 12. 4, 9.
Paradoxalmente, o povo que deveria enxergar também está cego (Ap 22. 10), mas isso é para se cumprir a profecia em Ap 3. 14-22.
Voltando a Daniel, mas agora no capítulo 9, do 22 ao início do 24:
“Ele me instruiu, e falou comigo, dizendo: Daniel, agora saí para fazer-te entender o sentido. No princípio das tuas súplicas, saiu a ordem, e eu vim, para to declarar, porque és mui amado; considera, pois, a palavra, e entende a visão.”
Assim, como acabamos de ler, se quisermos “entender a visão” e “entender o sentido”, temos que obedecer a mesma ordem que foi dada a Daniel: “considera a Palavra”. Portanto, sigamos os passos de Daniel, que aprendeu com Jeremias: “No primeiro ano do seu reinado, eu, Daniel, entendi pelos livros que o número dos anos, de que falara o SENHOR ao profeta Jeremias, em que haviam de cumprir-se as desolações de Jerusalém, era de setenta anos (Dn 9. 2).
Então vamos ao profeta com quem Daniel aprendeu, Jr 25. 10 - 12:
“E farei desaparecer dentre eles a voz de gozo, e a voz de alegria, a voz do esposo, e a voz da esposa, como também o som das mós, e a luz do candieiro. E toda esta terra virá a ser um deserto e um espanto; e estas nações servirão ao rei de Babilônia setenta anos. Acontecerá, porém, que, quando se cumprirem os setenta anos, visitarei o rei de Babilônia, e esta nação, diz o SENHOR, castigando a sua iniquidade, e a da terra dos caldeus; farei deles ruínas perpétuas.”
Antes de Daniel, Jeremias já havia entendido que Israel permaneceria no cativeiro por 70 anos. Mas qual foi a desobediência que esse povo cometeu para que ficassem escravos por tanto tempo? 
“E os que escaparam da espada levou para Babilônia; e fizeram-se servos dele e de seus filhos, até ao tempo do reino da Pérsia. Para que se cumprisse a palavra do SENHOR, pela boca de Jeremias, até que a terra se agradasse dos seus sábados; todos os dias da assolação repousou, até que os setenta anos se cumpriram(2Cr 36. 20, 21).
Agora sim ficou claro! Talvez você esteja pensando: Mas nem tanto.
Bom, que Israel deveria passar 70 anos no cativeiro, isso já havia ficado claro desde Daniel e, mais ainda, em Jeremias. Mas o porquê só podemos discernir aqui: até que a terra se agradasse dos seus sábados”. Para que entendamos a visão e o sentido da profecia, precisamos entender o que Daniel entendeu e, assim, tudo vai ficando mais claro, a medida que aprendemos a estudar o que Daniel estudava, o Antigo Testamento.
Acabamos de verificar que ao Senhor devolveu para terra os seus sábados roubados por Israel; “Também eu me lembrarei da minha aliança com Jacó, e também da minha aliança com Isaque, e também da minha aliança com Abraão me lembrarei, e da terra me lembrarei (Lv 26. 42). Compare com até que a terra se agradasse dos seus sábados”, que acabamos de ler em 2º Crônicas.
Meus amigos! Quando lembrarmos da Palavra que diz:  “Deus é fiel”. Devemos temer e tremer, antes de celebrar. Falta temor de Deus em nossa geração. Sim, Deus é fiel, mas fiel a quê? Fiel a Sua Palavra! Ele prometeu que lembraria das suas alianças e da terra, caso Israel se esquecesse delas. E o Eterno não esquece suas alianças:
“Falou mais o SENHOR a Moisés no monte Sinai, dizendo: Fala aos filhos de Israel, e dize-lhes: Quando tiverdes entrado na terra, que eu vos dou, então a terra descansará um sábado ao SENHOR (Lv 25. 1, 2).
Os hebreus entraram na terra, se fartaram, se alegraram, desfrutaram das bênçãos do Senhor. Assim como muitos de nós fazemos hoje. Entretanto, havia uma aliança firmada pelo Senhor com o seu povo. Ele cumpriu o que profetizou e eles entraram na terra. Mas, lamentavelmente, o povo se esqueceu a aliança que fizeram com o Seu Deus.
Porém, se um sábado corresponde a um dia por que eles pagaram 70 anos de dívida? Considera, pois, a palavra, e entende a visão”, desde Levítico 25:
“Seis anos semearás a tua terra, e seis anos podarás a tua vinha, e colherás os seus frutos; Porém ao sétimo ano haverá sábado de descanso para a terra, um sábado ao SENHOR; não semearás o teu campo nem podarás a tua vinha. O que nascer de si mesmo da tua sega, não colherás, e as uvas da tua separação não vindimarás; ano de descanso será para a terra” (vv. 3 - 5)
Não são sete dias, são sete anos! Israel ‘se esqueceu’ de guardar a terra, um sábado (um ano) a cada seis anos. Esse foi o conceito resgatado por Jeremias e por Daniel, ao entenderem as profecias. Uma semana não se tratava de sete dias, mas de sete anos! Por isso, depois de roubarem da terra 490 anos sem guardar o sábado do Senhor, esse mesmo Senhor, Fiel, se lembrou da terra (Lv 26. 42) e - como a matemática não mudou daqueles dias até hoje - Israel foi tirado da terra por 70 anos (490 anos ÷ 7)até que a terra se agradasse dos seus sábados.
Pronto. Irmão em Cristo, assim como Daniel foi obrigado a parar e voltar às veredas antigas, estudar e entender a Palavra de Deus, assim também você fez hoje, até que pudesse discernir e ter o mesmo referencial dos profetas. Agora, você pode dizer o que ele disse: “eu, Daniel [e também você], entendi pelos livros.
Agora, você está habilitado a voltar ao início e “entender” a visão e o sentido de Dn 9. 22 - 27 e 12. 1, sem nem mesmo precisar de ler a próxima postagem que dará continuidade ao assunto. 

3 comentários:

Lucas Barros disse...

Está na Palavra.Por que não entendemos? Talvez seja porque não prestamos atenção devida ao que Deus nos diz, isso gera consequências terríveis. E volto a repetir -incrível não teve recurso algum além da própria Bíblia.

Deus nos abençõe com a leitura dessas postagens, e claro da Bíblia.

António Jesus Batalha disse...

Passei e encontrei seu blog, li algumas coisas, seu blog é muito bom, quero deixar um incentivo: Continue a deixar-se guiar pela grande vontade de Deus, continue a ouvir a voz do Espírito Santo, e a escrever o que você sabe que é a vontade de Deus, tanto para ganhar outros para Jesus, quer incentivar nossos amigos a ficarem mais perto do nosso Deus. Deixo também um convite, mas é apenas se o quiser fazer, pertencer aos meus amigos no Peregrino E Servo, claro que irei retribuir.Um obrigado,e muita paz de Jesus.

Ecodesign Arquitetura disse...

Vou recomendar para meus amigos!
Siga em frente.

Newer Posts Older Posts
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...