Voltemos ao Evangelho

Loading...

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

VIAJANDO...

Paz amigos.

Que tarde boa. Neste momento, estou viajando para Criciúma, a fim de ministrar aulas de homilética. Que viagem agradável, também, num destes novos ônibus de luxo, com visão panorâmica, auto-bar, suporte para as pernas, climatizador, filmes, música e até internet.

Bom, justo eu, que constantemente chamo atenção para o enjaulamento dos homens em suas cavernas de entretenimento digital, olha só o flagra que acabei de dar em mim mesmo. Lembro das horas de estrada, a cada duas semanas, onde normalmente eu ia conversando com alguém que não compartilhava da mesma fé salvífica, em Cristo.

Eram tempos de diálogo do tipo face a face, daquele que nos dá a oportunidade de externar uma fé viva e prática, ao ponto de despertar o interesse e, em alguns casos, até mesmo a transformação de uma vida, da água para o vinho, o que tem se tornado cada vez mais raro. Trabalho todos os dias recebendo e transmitindo mensagens em frente a um LCD. As vezes, tenho que me esforçar para não confundir a minha própria casa com uma lan house. E, agora mesmo, estou curtindo uma de nerd pós-moderno. Ou seja, a cada dia, menos cristãos estão compartilhando o amor de Deus com aqueles que não o conhecem. Ao invés disso, estamos nos isolando em nossos arraiais gospel e formando guetos doutrinários.

Onde vamos chegar? Quais os rumos do evangelismo nas cidades? Será que nós devemos vigiar e orar, ao ponto de não nos tornarmos pessoas alienadas pelas novidades digitais e da real e mais importante necessidade humana, que é a salvação? Ou simplesmente nos deixaremos ser empurrados ladeira abaixo, para dentro do nosso próprio individualismo, sem compromisso com o desconforto de se compartilhar evangelho com alguém, sendo como cartas vivas para todo aquele que nos lê?

Que a graça do Eterno seja suficiente para nos libertar da masmorra da letargia dos tempos do fim. Que o amor do Pai nos deixe compungidos a cumprir todo o propósito d’Ele para cada um de Seus filhos. E que a nossa fé em Cristo seja firme o suficiente para que a vivamos fora dos guetos evangélicos.

Um fraternal abraço a todos.

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

TIRANDO OS OLHOS DO PRÓPRIO UMBIGO


“O néscios, e tardos de coração para crer tudo o que os profetas disseram!” (Lc 24. 25). Depois de uma breve Anamnese (do grego ana, trazer de novo e mnesis, memória), esta foi a compreensão ampla que o Senhor nos trouxe, correlação aos homens que andam olhando para o seu próprio umbigo.

Eis o problema: quando marchamos em nossos próprios caminhos, mesmo sendo cristãos, desconsideramos a própria Palavra de Deus e, então, assumimos o risco de andar na direção oposta daquela que seria a vontade de Deus para Seus filhos.

Eis a solução: se voltar novamente para a Palavra de Deus (v. 27), como a mais pura fonte da Verdade, e a comunhão com Cristo (vv. 29, 30), como fonte de Vida e de inspiração (v. 31) a todo aquele que nEle crê.

A grande questão é que entre o problema e a solução estão o nosso egoísmo e auto-suficiência, de um lado, e o inimigo aproveitador de nossas fraquesas, do outro. Esta combinação nos empurra abismo, após abismo, segando os filhos de Deus de tal forma, que eles chegam até mesmo a abandonar (ou dar um tempo) a própria comunhão entre os irmãos, se enclausurando nos seus caramujos existenciais e olhando para si mesmos como abandonados por Deus e pelos homens.

O Espírito Santo fala conosco através das Escrituras, no entanto, ele usa pessoas que aparecem ao nosso lado, com a finalidade de abrir os nossos olhos, pois crer que a Bíblia é a Verdade, isso é fácil, mas fazer o que o Senhor diz através dela, isso é para quem é discípulo.

Não podemos permanecer fixados em nossos próprios umbigos, num isolamento egocêntrico. Do contrario - mesmo quando imersos em toda ordem de problemas - devemos olhar pra Cristo, buscando comunhão com Ele e com os que compartilham a mesma fé, afinal, só assim fazemos parte do Seu Corpo.

E, acima de tudo, mesmo que nos encontremos em um momento de escuridão em nossas vidas, que a graça do Pai nos seja suficiente para clamarmos: “Fica conosco, porque já é tarde, e já declinou o dia” (v. 29). E certamente o Senhor entrará em nossos corações e chegaremos a anelada intimidade com Ele. E Ele saciará a sede e a fome de nossa alma. E os nossos olhos se abrirão e verão a glória de Deus.

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

POR QUE...?


Os evangélicos ocupam lugar de destaque na mídia. Em pleno tempo de queda da economia mundial, os templos se multiplicam e as ofertas mais ainda. As ‘celebridades’ gospel estão na boca do povo, com nomes de relevância nacional, tão admirados quanto aqueles do congresso e tão famosos quanto os seus atos secretos. Tão transparêntes quanto as contas das ilhas caiman e tão necessários quanto os heróis dos reality shows.

Mas há uma massa que admira e segue estes homens tão hodiernos quanto hediondos. Há pessoas que os justificam e os defendem com argumentos que nem elas conseguem sustentar. Há quem tenha seus ouvidos atentos a voz destes ‘ungidos’. Se segos, surdos ou com a mente dormente pela ignorância, não me cabe definir o indefinível. Basta atentar para o outdoor estampado pelas mãos de Oséias: “O meu povo perece por falta de conhecimento” (4.6) - e também por falta de sabedoria, de bom senso e pela bitola da ganância com o manto da bênção. Tudo isso tem ajudado a compor a caricatura do evangelicalismo brasileiro.

Foi-se o tempo em que ser um crente significava ser um homem de bem, de respeito, pai e marido honrado, dedicado a família, enfim, uma pessoa que sua conduta autenticava suas palavras. Não que seus vizinhos acreditassem nas histórias da Bíbia, mas reconheciam o crente como uma pessoa temente a Deus.

E também houve o dia em que os testemunhos lembravam muito a Palavra de Deus: “Eu roubava e já não roubo mais. Matava, mentia, odiava, traía… Mas fui alcançado e transformado pelo sangue e pelo amor de Cristo; hoje, sou liberto pelo poder de Deus”. Foi-se o tempo…

E quando alguém poderia imaginar que um homem poderia ser, ao mesmo tempo, pastor, estelionatário, missionário, usurpador, apóstolo, ladrão, ganancioso e tantas outras torpezas que envergonham qualquer cristão sério, além de colocar em cheque a eficácia do evangelho.

O que está acontecendo com a essência do evangelho, aquele que deveria ser tão puro quanto simples? Por que os fiéis estão cada vez mais infiéis? Por que os que chutam as imagens estão elegendo tantos ídolos para si? Por que o tempo das indulgências voltou com mais força ainda, pois antes se compravam pedacinhos dos céu, mas agora se priorizam a posse dos frutos dessa terra?

Por que…?

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

REATIVANDO

A paz de Cristo a todos os amigos.

Depois de quase dois anos, resolvi reativar mais este meio de comunicação. Voltarei a postar uma ou outra ‘verborragia’, de vez em quando.

De antemão, deixo uma dica ao pessoal da seita dos nazarenos [risadas], que é o site www.jornalmessias.com.br. Este é um projeto de um amigo que vale à pena a visita.

Outra dica, esta mais abrangente e para quem ainda foge dos moldes impostos pelo evangelicalismo com nome de que é, mas não é, está no blog do meu amigo Ricardo: http://opensador2.blogspot.com


Até breve com mais dicas e alguns textos também.

Um fraterno abraço.

Newer Posts Older Posts
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...